Eventos e Anais de Eventos

EVENTOS

 

30 e 31 de agosto de 2022

Apresentação: O direito a uma alimentação adequada é fundamental, inerente à dignidade da
pessoa humana e indispensável para a realização de outros direitos. Assim, deve ser garantido
a todos o acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem
comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, com base em práticas alimentares
promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam sustentáveis do ponto de
vista ambiental, cultural, económico e social.
Além disso, a alimentação é mais do que uma fonte essencial de nutrientes, é também uma
componente chave da cultura, fundamental para o sentido de identidade. Através da alimentação
cada grupo social distingue-se dos outros, reconhece-se a si próprio e é por isso reconhecido,
com base em cada especificidade, tanto em relação à utilização de ingredientes específicos
como em relação aos hábitos alimentares, formas de preparação e consumo.
A pandemia de COVID-19, bem como questões sociais, econômicas e políticos (que são
consequência ou até mesmo antecedem a questão sanitária) tem alterado os ambientes
alimentares das pessoas, tanto nas suas dimensões externas – disponibilidade de alimentos,
preços, vendedores – como nas suas dimensões pessoais – acesso geográfico, acessibilidade
econômica, conveniência e desejabilidade. Estas mudanças no ambiente alimentar influenciam
as práticas de compra e consumo de alimentos das pessoas, o que pode levar a uma deterioração
do estado nutricional e de saúde (individual e/ou populacional).
Diversos estudiosos têm se preocupado com a questão alimentar globalmente. Especificamente
em Ponta Grossa o Grupo Questão Ambiental Gênero e Condição de Pobreza verificou um
incremento significativo da insegurança alimentar entre a população vulnerável estudada. No
Peru o Núcleo de investigación en alimentación y nutrición pública da Universidad Nacional
Mayor de San Marcos verificou alterações nas dimensões do sistema alimentar e do consumo
da população adulta de Lima durante a Pandemia.
Te convidamos a conhecer esses trabalhos, bem como a discutir sobre a relevância da realização
de diagnósticos e estudos para as políticas públicas. Além disso, gostaríamos que
compartilhasse conosco os vossos trabalhos que abordam de algum modo a alimentação, desde
a produção agrícola, processamento, transporte, comercialização, valorização e consumo.

PROMOÇÃO:
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas – UEPG
Núcleo Questão Ambiental, Gênero e Condição de Pobreza

Abaixo, programação, Grupos de Trabalho e regras para submissão de trabalhos:

1º SIMPÓSIO ITERAMERICANO “PERSPECTIVAS SOBRE ALIMENTAÇÃO”

 

Skip to content