Coleção de cadernos do Foto Bianchi

O site Memórias Digitais (http://memoriasdigitais.museu.uepg.br) disponibiliza a coleção de cadernos de controle de serviços do Foto Bianchi, que remete ao período de origem e desenvolvimento da fotografia em Ponta Grossa. Os registros comerciais e demais anotações foram inteiramente digitalizados pelo Museu Campos Gerais em parceria com a Casa da Memória Paraná, com apoio da Fundação Araucária. O material agora pode ser inteiramente acessado no formato PDF para leitura e pesquisa.

A coleção de cerca de 150 cadernos originais abrange o período de 1911 a 1973, atravessando duas gerações de fotógrafos da família Bianchi. A tradição teve início com a vinda de Luiz Bianchi a Ponta Grossa na década de 1910 – participando na documentação visual da instalação da ferrovia no município. Desde o início de suas atividades na cidade, Luiz Bianchi mostrou-se integrado à comunidade. Por exemplo, o retrato do prefeito Theodoro Rosas aparece na lista de clientes do ano de 1912, somado aos outros registros fotográficos. A partir da abertura do alvará do estúdio fotográfico em 1913, seu trabalho torna-se referência e vai ser continuado pelo filho Rauly, que assina a maior parte dos cadernos da coleção.

Para a professora da UEPG Patricia Camera, coordenadora do projeto de extensão Fundo Bianchi e diretora de ação educativa do Museu Campos Gerais, o acesso amplo a tais documentos é fundamental na medida em que servem como indicador de sociabilidade de uma época. “A partir dos cadernos de controle é possível extrair pistas sobre o circuito da fotografia em diferentes períodos e contextos. Ali estão informações sobre clientela, encomendas, mas também equipamentos e processos químicos valiosos para se entender todo um desenvolvimento da fotografia e do circuito cultural na cidade e na região”, destaca.

Acesse a

Coleção Cadernos do Foto Bianchi:

http://memoriasdigitais.museu.uepg.br/collections/show/38

Como funciona a digitalização de acervos: